Terça, 18 de junho de 2024.
Busca Rápida (somente por palavras-chave)
    
Tese
Título Proteômica quantitativa de diferentes morfologias de caules de Cereus sp
Autor Fernandes, Vanessa Neves de Azevedo
Unidade Pós-Graduação em Genética e Melhoramento
Área de Concentração Genética e Melhoramento
Orientador Claudete Aparecida Mangolin
Co-Orientador(es) Maria de Fátima Pires da Silva Machado
Maria Cláudia Colla Ruvolo Takasusuki
Banca Examinadora Fábio César Sousa Nogueira
Adriana Gonela
Rosane Marina Peralta
Maria de Fátima Pires da Silva Machado
Data de Defesa 14/02/2017
Resumo As cactáceas são plantas de grande importância ecológica e econômica, altamente adaptadas às regiões secas. As diferentes morfologias do caule, assim como flores e frutos, vêm sendo utilizadas para a classificação dos gêneros e espécies nessa família. A espécie Cereus peruvianus, popularmente conhecida como mandacaru, é bem difundida no território brasileiro e muito utilizada com fins ornamentais e industriais, além de ser a principal espécie forrageira no ambiente seco do Nordeste brasileiro. Compondo esta espécie, encontramos as supostas variedades monstruosus, cujo caule apresenta costelas formando sulcos irregulares e número variável de aréolas por costela; e a variedade tortuosus, com costelas em espiral. Para as cactáceas, não é adequado que a classificação seja realizada com base somente em sua morfologia, pois este grupo apresenta uma grande plasticidade de características morfológicas. Nesse sentido, a proposta do presente estudo foi investigar a expressão de proteínas nas três diferentes morfologias encontradas no gênero Cereus, esperando encontrar proteínas diferentemente expressas, que possam ser usadas para caracterizar as diferentes morfologias e usadas como novos parâmetros moleculares para subsidiar estudos no gênero. A análise proteômica da espécie indicou a expressão de 324 proteínas diferentemente expressas entre as três diferentes morfologias. Na análise GO das proteínas unicamente identificadas em cada um dos três fenótipos, foram encontradas 13 subcategorias da categoria GO-componente celular, nove subcategorias da categoria GO-função molecular e 23 subcategorias da categoria GO-função molecular. Quanto à expressão diferencial de proteínas na morfologia de caule ereto, encontramos principalmente a actina, a frutose 1,6 bifosfato aldalose, a rubisco e a anidrase carbônica. Nas amostras tortuosus, encontramos como diferencialmente expressas as enzimas enolase, fosfoglicerato kinase, ATP sintase e gliceraldeido 3 fosfatase. Em monstruosus, encontramos as enzimas enolase, fosfoglicerato kinase, ATP sintase e superóxido dismutase. A expressão diferencial de actina deve estar associada à morfologia monstruosus, podendo ser utilizada como um biomarcador para as três diferentes morfologias de Cereus sp. e as células de caules tortuosus e monstruosus se desenvolvem em um estado que simula uma condição de estresse metabólico.
Palavras-chave: Cactaceae, Cereus
Palavras-chave Cactaceae, Cereus peruvianus, tortuosuos, monstruosus, proteômica.
Title
Abstract The Cactaceae are ecological and economical important plants highly adapted to dry regions. The different morphologies of stem, flowers and fruit are been used to classify genus and species of this family. The species Cereus peruvianus, popularly known as mandacaru, is widespread in Brazil and widely used for ornamental and industrial purposes, as well as being the main forage species in dry environments of Brazilian Northeast. In this species, we can find varieties: monstruosus, whichhas stem with ribs forming irregular ridges and variable number of ribs, and tortuosus, with spiral ribs. For cactaceae morphological classification is not appropriate because this group presents a large plasticity of morphological characteristics. In this sense, the purpose of the present study was to investigate protein expression in the three different morphologies found in the genus Cereus, expecting find differentially expressed proteins that could be used to characterize the different morphologies and use these as new molecular parameters to support studies in the genus. Proteomic analysis of the species indicated 324 proteins differently expressed among the three morphologies. In the GO analysis of the uniquely identified proteins in each of the three phenotypes were found 13 subcategories of the GO-cell component category, nine subcategories of the GO-function molecular category and 23 subcategories of the GO-molecular function category. Regarding the differential expression of proteins in the erect morphology, we found mainly actin, fructose 1,6 bisphosphate aldalose, rubisco and carbonic anhydrase. In the tortuosus samples, the enzymes enolase, phosphoglycerate kinase, ATP synthase and glyceraldehyde 3 phosphatase were differentially expressed. In monstruosus we found enzymes enolase, phosphoglycerate kinase, ATP synthase and superoxide dismutase. The differential expression of actin should be associated with the morphology of monstruosus, and can be used as a biomarker for the three different morphologies of Cereus sp. The stem cells of tortuosus and monstruosus develop in conditions of metabolic stress.
Key-words Cactaceae, Cereus peruvianus, tortuosuos, monstruosus, proteomic.
Arquivos
Nome Tamanho
1.886,78 KB

TESES E DISSERTAÇÕES - Universidade Estadual de Maringá
Desenvolvimento: VIASITE INTERNET