Quinta, 15 de novembro de 2018.
Busca Rápida (somente por palavras-chave)
    
Tese
Título Proteômica do alimento de cria da abelha sem ferrão Scaptotrigona bipunctata, Lepeletier, 1836 (Hymenoptera, Meliponini)
Autor Andreotti , Fabiana Castelani
Unidade Pós-Graduação em Genética e Melhoramento
Área de Concentração Genética e Melhoramento
Orientador Maria Claudia Colla Ruvolo Takasusuki
Co-Orientador(es) Erasmo REneste
Claudete Aparecida Mangolin
Banca Examinadora Claudete Aparecida Mangolin
Adriana Gonela
Vagner de Alencar Arnaut de Toledo
Eduardo César Meurer
Data de Defesa 21/12/2017
Resumo As abelhas sem ferrão (ASF), pertencentes à tribo Meliponini, são abelhas que possuem o ferrão atrofiado e encontram-se localizadas nas regiões tropicais e subtropicais do Planeta, em especial na América Latina. Existem de 500 a 800 espécies conhecidas e ainda há poucos estudos realizados ou em andamento sobre o alimento de cria destes insetos. Sabe-se que apresentam comportamento social, no entanto os mecanismos genéticos e epigenéticos, utilizados na determinação das castas, são desconhecidos. No que concerne às características do alimento de cria ou às proteínas relacionadas com a produção do alimento, pesquisas comprovam que são fatores determinantes para a eusocialidade e para diferenciação dos morfotipos dentro da colmeia. Diane de tais dados e de estudos anteriormente desenvolvidos por pesquisadores renomados na área, que encontraram na geleia real um papel fundamental para o comportamento social de "Apis mellifera", sendo ela um alimento rico em proteínas chave para a eusocialidade. Diante disso, fica a pergunta: teria o alimento de cria da "S. bipunctata", composição proteica semelhante? Na hipótese de composição semelhante, foi traçado um caminho metodológico que envolveu análises de bandas do gel SDS PAGE, analisando a proteína total do alimento de cria de "Scaptotrigona bipunctata", comparando-a às proteínas totais da geleia real. Utilizando análises em um cromatógrafo de ultra-alto desempenho, UHPLC (Shimadzu, Nexera X2), acoplado a um espectrômetro de massas (Bruker, Impact II) constatou-se que o alimento de cria, da "S. bipunctata", possui 1570 peptídeos detectáveis nas bandas analisadas do gel SDS PAGE. No entanto, o programa de análises proteômicas (Mascot (Matrix Science Inc.), utilizado nesta pesquisa, não identificou peptídeos semelhantes aos de "Apis mellifera", nos bancos de dados proteicos disponíveis no "Swiss Prot", o que pode significar a existência de algum aminoácido incomum no alimento de cria, ou ainda, proteínas inéditas que impossibilitaram a comparação com as proteínas chave conhecidas. Pode-se arremeter estes achados ao fato de que o gênero Apis e o gênero Meliponini possuem evolução divergente, fazendo com que suas proteínas se distanciassem ao longo de suas histórias evolutivas. Diante de tais constatações, considera-se esta pesquisa um estudo de base, que poderá fomentar novas investigações pertinentes à proteômica do alimento em espécies de abelhas sem ferrão.





Palavras-chave Alimento de cria, Proteômica, ,Apis mellifera, Geleia real, Espectrometria de massas.
Title
Abstract The Brazilian bees, belonging to the Meliponini tribe, are bees that have the atrophied sting and are located in the tropical and subtropical regions of the Planet, especially in Latin America. There are 500 to 800 known species and there are still few studies done or underway on the breeding feed of these insects. It is known that they have social behavior, however the genetic and epigenetic mechanisms, used in the determination of the grape varieties, are unknown. Regarding the characteristics of the feed or the proteins related to the production of the food, research proves that they are determinant factors for the eusociality and for the differentiation of the morphotypes inside the hive. Faced with such data and studies previously developed by renowned researchers in the area, who found in royal jelly a fundamental role for the social behavior of "Apis mellifera", being a food rich in proteins key to eusociality, would have the food of "S. bipunctata", similar proteins composition? In the hypothesis of similar composition, we traced a methodological path that involved analyzes of bands of the SDS PAGE gel, analyzing the total proteins of the breeding feed of "Scaptotrigona bipunctata", comparing it to the total proteins of the royal jelly. Using analysis in an ultrahigh performance chromatograph, UHPLC (Shimadzu, Nexera X2) coupled to a mass spectrometer (Bruker, Impact II), we verified that "S. bipunctata" breeding stock contains 1570 detectable peptides in the analyzed bands of SDS PAGE gel. However, the Mascot proteomic analysis program (Matrix Science Inc.), used in this research, did not identify peptides similar to those of "Apis mellifera", in the proteins databases available in Swiss Prot, which may mean the existence of some unusual amino acid in the or novel proteins that mad comparison with known key proteins impossible. We can put forward these findings to the fact that the genus Apis and the genus Meliponini have divergent evolution, causing their proteins to distance themselves along their evolutionary histories. In view of these findings, we consider this research a basic study, which may foster further research relevant to the proteomics of food in stingless bee species.
Key-words Breeding food, Proteomics, pis mellifera, Royal jelly, Mass spectrometry
Arquivos
Nome Tamanho
18,59 KB

TESES E DISSERTAÇÕES - Universidade Estadual de Maringá
Desenvolvimento: VIASITE INTERNET